Ritmo acelerado

Estaleiro Atlântico Sul utiliza tecnologia de ponta e entrega navio Dragão do Mar

Terça, 22 de Abril de 2014, às 19:10
 O Dragão do Mar é o primeiro navio construído integralmente com a moderna tecnologia de montagem por megablocos O Dragão do Mar é o primeiro navio construído integralmente com a moderna tecnologia de montagem por megablocos

O Estaleiro Atlântico Sul (EAS) promoveu, no dia 14 de abril, a cerimônia de viagem inaugural do navio petroleiro Dragão do Mar e o evento de batismo do também petroleiro Henrique Dias. As duas embarcações são, respectivamente, a terceira e a quarta encomendas feitas ao EAS que integram o Programa de Modernização e Aceleração da Frota da Transpetro (PROMEF).

O Dragão do Mar é o primeiro navio construído pelo Estaleiro Atlântico Sul no qual foi empregada integralmente a moderna tecnologia de montagem por megablocos, assim como é feito em estaleiros de referência em todo o mundo. "Estamos aqui reunidos para celebrar uma conquista em dobro para o Estaleiro: a viagem inaugural do navio Dragão do Mar e o batismo do navio Henrique Dias, o que mostra nossa capacidade de construir, simultaneamente, várias embarcações. É a força e a garra do povo pernambucano que ergue o nosso sonho de ser um estaleiro competitivo em nível mundial", afirmou o presidente do EAS, Otoniel Silva Reis.

O uso da tecnologia de montagem por megablocos proporcionou ganhos como a redução do tempo de construção e o incremento da qualidade no acabamento da embarcação, comprovada durante as provas de mar. Isto demonstra seu amadurecimento e sua capacidade de se tornar um estaleiro de alta performance, através da busca pela produtividade, pelo custo competitivo e pelos altos padrões de segurança.

O EAS dá continuidade assim à meta atual de acelerar o ritmo de entrega das encomendas, o que tem sido feito por meio do investimento em programas de qualidade e na capacitação contínua de sua mão de obra, composta principalmente por trabalhadores pernambucanos – 79% da força de trabalho do EAS. Atualmente, seis embarcações estão sendo construídas de forma simultânea pelo EAS, cada uma em um estágio diferente de montagem. Entre elas está o navio petroleiro do tipo Suezmax, Henrique Dias, que se encontra no cais de acabamento. No local, estão sendo realizados os trabalhos de pintura, interligações dos diversos sistemas da embarcação e os primeiros testes antes de o navio seguir para a prova de mar. As outras embarcações são as três primeiras sondas de perfuração, de um total de sete, além dos navios 5, 6 e 7.

O navio petroleiro Suezmax Dragão do Mar, que segue agora para a Bacia de Campos, foi batizado em homenagem ao marinheiro e abolicionista cearense Francisco José do Nascimento. Sua construção demandou os esforços de aproximadamente 2,5 mil profissionais, que atuaram desde o corte da primeira chapa aos últimos acertos realizados durante a fase de acabamento. Já o petroleiro Henrique Dias, que também foi inteiramente construído por meio da moderna tecnologia de megablocos, celebra um dos heróis pernambucanos negros da luta contra os holandeses nas Batalhas dos Guararapes.

Especificações – O navio petroleiro Suezmax Dragão do Mar possui 274,2 metros de comprimento e 48 metros de largura (boca modelada). Tem porte bruto de 157,7 mil toneladas e capacidade para transportar um milhão de barris. O navio consumiu 24,5 mil toneladas de aço em sua construção e tem as dimensões máximas para a navegação pelo Canal de Suez. Em termos de desempenho, o Dragão do Mar possui autonomia de 20 mil milhas náuticas. Estas são as mesmas dimensões e capacidades projetadas para o Henrique Dias.

EAS – O Estaleiro Atlântico Sul foi formalmente criado em novembro de 2005 pelos Grupos Camargo Corrêa e Queiroz Galvão e, desde julho de 2013, a sociedade ganhou a participação da japonesa JEI - Japan EAS Investimentos e Participações Ltda., que trouxe consigo os mais de cem anos de experiência da indústria naval japonesa, um dos maiores players do mundo.

Detentor de uma planta naval de 4ª geração, a mesma dos mais modernos estaleiros asiáticos, o EAS é o primeiro de seu porte a se instalar fora do eixo Sul/Sudeste do País, influenciando a economia local e nacional ao atrair importante cadeia de negócios para a região. Estrategicamente instalado no Complexo Industrial Portuário de Suape, em Ipojuca (PE), o Estaleiro Atlântico Sul se vale das condições logísticas privilegiadas de sua localização em relação ao chamado "Triângulo de Ouro" da indústria de petróleo e gás – formado pelo Golfo do México, Costa Ocidental da África e pela região do pré-sal, no Brasil.

Além disso, desde 2013, o Estaleiro Atlântico Sul possui um espaço destinado a elevar o nível de formação e qualificação profissional de seus colaboradores, o Centro de Desenvolvimento Humano (CDH). Instalado em uma área de 950 metros quadrados, o CDH tem capacidade de treinar 500 pessoas, diariamente. No local, elas têm a oportunidade de adquirir conhecimentos específicos para desempenhar com desenvoltura suas atividades de trabalho. Desde a inauguração, o CDH já realizou aproximadamente 26 mil capacitações.

Petroleiros Dragão do Mar e Henrique Dias

  • Capacidade: 1 milhão de barris
  • Porte bruto (peso da embarcação com carga máxima): 157,7 mil toneladas
  • Tipo de navio: Suezmax (possui as maiores dimensões para passar pelo Canal de Suez, que liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo)
  • Comprimento total: 274,2 metros
  • Comprimento entre perpendiculares: 264 metros
  • Velocidade de projeto: 14,8 nós
  • Autonomia: 20.000 milhas
  • Boca moldada: 48 metros
  • Pontal moldado: 23,2 metros
  • Calado de escantilhões: 17 metros
  • Demanda de aço: 24,5 mil toneladas
  • Motor principal: Doosan, com potência de 22.500 HP
  • Hélice de passo fixo
  • Número de segregações: 3