Reconhecimento

Grupo Camargo Corrêa premia as iniciativas sustentáveis mais inovadoras implantadas em suas empresas

Sexta, 26 de Outubro de 2012, às 10:00

O Grupo Camargo Corrêa anunciou nesta segunda-feira, 22, os vencedores do Prêmio Inovação Sustentável. Foram 459 trabalhos inscritos por funcionários de 12 empresas do conglomerado, incluindo ações realizadas fora do Brasil. A premiação tem o objetivo de reconhecer o esforço coletivo empreendido pelos profissionais de todas as empresas do grupo na busca de práticas sustentáveis e inovadoras.

O prêmio acontece a cada dois anos e é dividido em duas modalidades: Ideias Sustentáveis (para projetos ainda na fase de concepção) e Práticas Sustentáveis (para reconhecer iniciativas já em andamento).

"Os conceitos de sustentabilidade estão cada vez mais incorporados às práticas de gestão de nossas empresas e, desta forma, o Prêmio Inovação Sustentável está consolidado como um dos grandes esforços de sucesso para promover esta agenda entre todos os nossos profissionais", afirma Vitor Hallack, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa S.A., holding do grupo Camargo Corrêa. Nesta edição do Prêmio, a modalidade Ideia Sustentável contou com uma única categoria: Gestão de Água. A decisão de focar esforços em uma única categoria visa antecipar as discussões sobre cooperação e uso racional desse recurso natural, tendo em vista que 2013 foi escolhido pela ONU como Ano Internacional da Água.

Já a premiação das melhores iniciativas em andamento nas empresas do grupo contou com 373 trabalhos inscritos. Desta forma, a modalidade Prática Sustentável registrou um aumento de 28% no número de ações em relação à edição anterior. Ao todo, 1.284 profissionais inscreveram trabalhos.

"Estamos muito satisfeitos com os resultados do prêmio. Com o maior número de inscrições na modalidade Prática Sustentável é possível perceber que as ideias das edições anteriores viraram ações reais e houve progresso e inovação nos últimos anos", comemora Carla Duprat, diretora de Sustentabilidade do Grupo Camargo Corrêa

Os vencedores passaram pela avaliação de um júri especializado formado por 55 jurados, entre eles, Clarissa Lins, diretora da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável; Jacques Marcovitch, professor da Universidade de São Paulo (USP); Fernando Rosseti, secretário-geral do GIFE; Dal Marcondes, diretor de redação da revista digital Envolverde; Carlos Lessa Brandão, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa; Caco de Paula, editor do site Planeta Sustentável; e Alejandro Preusche, da Asociación Cristiana de Dirigentes de Empresas (ACDE).

O prêmio "Ideias e Práticas - Inovação Sustentável" teve a sua primeira edição em 2008 e surgiu como uma ferramenta de incentivo para a adoção e multiplicação de ações sustentáveis inovadoras dentro do grupo Camargo Corrêa. A segunda edição aconteceu em 2010.

Ideia sustentável

A ideia sustentável premiada foi o projeto "Atitude Azul – Programa de Gestão e Consumo Responsável de Água", desenvolvido por profissionais da InterCement, que consiste em implementar, em todas as plantas da empresa no Brasil e na Argentina, um sistema para a gestão de água, buscando a redução da captação e do consumo. O sistema deverá aumentar a recirculação de água no sistema produtivo, conscientizar os profissionais para o uso racional da água e ajudar a avaliar os riscos de escassez de água nas operações da empresa. A previsão é que o sistema consiga poupar um volume de água equivalente ao consumo anual de 104.000 pessoas.

Práticas sustentáveis

A Construtora Camargo Corrêa foi premiada na categoria Comunidade pelo trabalho realizado no Programa Grandes Obras Pela Infância (PGOI). A iniciativa foi criada para enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes nas áreas de entorno das grandes obras. A Construtora é a primeira empresa do ramo da construção civil a buscar um enfrentamento da questão. O programa é desenvolvido, inclusive, em parceria com a Childhood Brasil e consiste na conscientização e no engajamento de seu público interno e também das empresas subcontratadas, terceirizadas e fornecedores.

Na categoria Gestão de Água, a prática sustentável premiada foi a "Acquasave® by Tavex". O programa identificou nos processos e nos níveis da cadeia produtiva oportunidades para alcançar uma gestão sustentável do recurso hídrico. Em alguns casos, a Tavex conseguiu reduzir a praticamente zero o consumo de água durante a tintura do tecido. A prática também tem vantagens competitivas. Os dois produtos da linha "Acquasave® by Tavex" representam 25% das vendas totais dos lançamentos no Brasil e resultaram em uma margem 3 pontos percentuais acima dos demais produtos da coleção.

A Tavex venceu ainda na categoria Saúde & Segurança, com o Sistema Dilúvio, um modelo de atendimento mais rápido e seguro a incêndios, aplicável às estufas de ar quente. Este sistema consiste na implantação de tubos que permitem a injeção de vapor para conter um foco de incêndio.

A Recycomb (empresa da InterCement / Loma Negra na Argentina) foi premiada na categoria Cadeia de Valor, com o projeto El Velociraptor, que desenvolveu um equipamento para triturar madeira inservível e aproveitá-la como biomassa em fornos de cimento.

Na categoria Agenda Climática, a CPFL Energia foi premiada pela criação da Empresa CPFL Renováveis, que gera energia elétrica a partir de fontes renováveis em especial, parques eólicos, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e usinas termelétricas movidas a biomassa. Atualmente a Empresa possui um portfólio de ativos que totaliza 4.827 MW de capacidade.

A CPFL foi premiada ainda na categoria Gestão de Resíduos, com o projeto Lâmpadas Revitalizadas. As lâmpadas de iluminação pública, que antes eram recicladas e transformadas em outros produtos, agora são revitalizadas e utilizadas novamente na iluminação de ruas e avenidas. Esse processo tem um custo 50% inferior ao preço de mercado de uma lâmpada convencional. O piloto foi realizado em Campinas, Araçatuba, Mococa e Bauru. Agora, a revitalização das lâmpadas será adotada nos municípios da área de concessão do Grupo CPFL Energia em que a iluminação pública é de responsabilidade da empresa. Será possível reutilizar cerca de 90% das lâmpadas queimadas, o que equivale à aproximadamente 298 mil unidades ao ano.