Exclusividade

Instituto Camargo Corrêa terá foco específico na construtora

Quinta, 30 de Julho de 2015, às 14:12
Grupo de 48 mulheres artesãs modernizou a maneira de empreender e gerar renda na região Grupo de 48 mulheres artesãs modernizou a maneira de empreender e gerar renda na região

O Instituto Camargo Correa (ICC), que até junho de 2015 era o responsável pelo investimento social privado do Grupo Camargo Correa, passará a atuar com foco na Construtora Camargo Corrêa, buscando implementar projetos sociais ainda mais alinhados aos negócios da empresa, às necessidades da sociedade e às estratégias socioambientais dos clientes.

Nessa nova fase, um dos objetivos é aperfeiçoar o investimento social que pode ser feito no fortalecimento de organizações inseridas em cadeias produtivas de alto potencial nas comunidades onde a construtora está inserida. "Devemos propor o aperfeiçoamento de uma linha de apoio a projetos de fortalecimento de cadeias produtivas, como forma de inserção social e desenvolvimento comunitário", afirma João Teixeira Pires, coordenador do processo de transição do Instituto Camargo Corrêa.

O aprendizado proporcionado pela implementação do programa Futuro Ideal, com foco em aumento na geração de renda de grupos produtivos e protagonismo juvenil, e do Programa Infância Ideal, que atua em projetos de fortalecimento de redes de proteção, será muito importante para o desenho de projetos ainda mais alinhados ao negócio e com maior alcance de resultados.

O papel de articulador do ICC se tornará ainda mais forte. "Não operamos diretamente os projetos, sempre atuamos com parceiros operadores. O papel de articulador será ainda mais importante agora, que pretendemos expandir nossa atuação no fortalecimento de cadeias produtivas, pois parcerias intersetoriais serão essenciais para a concretização desse tipo de projeto nas regiões de atuação", diz João.

A carteira de projetos que já existia no ICC será cumprida. "Há cerca de 50 projetos em andamento aos quais daremos sequência, incluindo aqueles que ainda não começaram na prática, mas para os quais já foram firmadas parcerias com as comunidades locais e organizações parceiras", esclarece João.