Construindo o Futuro

InterCement e ICC iniciam projeto com pequenos produtores de Moçambique

Quinta, 19 de Fevereiro de 2015, às 14:37
O projeto visa estimular a organização dos produtores em cooperativas sustentáveis de geração e comercialização de produtos O projeto visa estimular a organização dos produtores em cooperativas sustentáveis de geração e comercialização de produtos

Aumentar as oportunidades de negócio para 30 pequenos produtores de artefatos de cimento do município da Matola, em Moçambique, é o objetivo do projeto Construindo o Futuro que está iniciando suas atividades. O projeto é a uma realização da InterCement em parceria com o ICC – Instituto Camargo Corrêa – através do programa Futuro Ideal e será executado pela CESAL - organização não-governamental espanhola dedicada à cooperação internacional e presente em 11 países da África e América Latina.

Ilídio Diniz, da InterCement de Moçambique, conta que um diagnóstico, realizado com o apoio do governo local, apontou essa oportunidade de atuação. De acordo com o mapeamento realizado, estima-se que existam cerca de 230 produtores de artefatos de cimento no município. Matola localiza-se na província de Maputo, a sul de Moçambique. "A cidade tem demonstrado um potencial de crescimento acima da média nacional. Este crescimento tem impulsionado o setor da construção, em toda a cadeia de valor, incluindo o mercado dos materiais de construção, no qual se insere a produção de artefatos", afirma. Diniz ressalta que essa proliferação de pequenos produtores tem contribuído para formar uma clientela cada vez mais exigente, em termos de preço e qualidade.

Os chamados artefatos de cimento são um termo genérico empregado para os mais diversos produtos, como blocos e pavês, tubos de concreto para saneamento, pré-lajes, sacadas e escadas pré-fabricadas, mourões, blocos, telhas, lajotas e mobiliário urbano. O projeto pretende estimular a organização dos pequenos produtores em cooperativas sustentáveis de produção e comercialização desses produtos. Os 30 produtores estão sendo selecionados para fazer parte da iniciativa. "Para ser escolhido o produtor deve cumprir alguns requisitos, como possuir uma estrutura minimamente montada que possibilite a sustentabilidade do seu negócio", explica Ilídio Diniz.

Após selecionados, os produtores receberão uma capacitação com aulas presenciais e práticas que serão capitaneadas por especialistas da ONG Cesal. Entre os temas que serão abordados estão questões de responsabilidade, motivação, desenvolvimento profissional, direito laboral, processo técnico de produção, qualidade e mediação de conflitos. As ações do projeto vão contribuir diretamente na melhoria em termos de gestão e qualidade do produto, inovação tecnológica, acesso a canais de financiamento e diversificação e comercialização do produto. Caso haja necessidade, o projeto também poderá investir na compra de equipamentos para os produtores. "Com o Construindo o Futuro a nossa expectativa é impulsionar um novo ciclo de desenvolvimento socioeconômico dos produtores de artefatos de cimento da Matola" afirma.

"O Construindo o Futuro é o primeiro projeto estruturante realizado em Moçambique pela InterCement. Ele nasce após um profundo processo de entendimento das demandas e oportunidades locais, conduzido pela empresa em parceria com o ICC. Para nós, o projeto representa um marco na expansão e adaptação de um modelo de investimento social que no Brasil tem sido bem sucedido ao contribuir com o desenvolvimento das comunidades onde as empresas do Grupo Camargo Corrêa estão presentes", conta João Paulo Campos, coordenador de Projetos do Instituto Camargo Corrêa.