Gestão do carbono

InterCement recebe aval da ONU em projeto de modernização para redução de emissões

Quinta, 21 de Março de 2013, às 23:45

A InterCement, holding do Grupo Camargo Corrêa para o setor de cimento, obteve da Organização das Nações Unidas (ONU) a aprovação de um projeto para reduzir em mais de 63 mil toneladas as emissão de gases de efeito estufa (GEEs) nos próximos dez anos.

O projeto, apresentado à ONU em 2007, consistiu na instalação de um moinho vertical para a produção de cimento na fábrica de Catamarca, que integra a unidade de negócios da empresa na Argentina. Resultado de um investimento de 38 milhões de dólares, o novo modelo vai substituir o antigo sistema de moagem, usado desde a década de 1980.

A principal vantagem na modernização é a redução que varia entre 25% e 40% no consumo de energia elétrica. Isso vai permitir que mais de 6 mil toneladas de GEEs, em média, deixem de ser lançadas anualmente na atmosfera até 2022.

Denominado “Diminuição de Gases do Efeito Estufa nas Instalações Industriais da UN Argentina”, o projeto também vai possibilitar à InterCement a obtenção de certificados de créditos de carbono, que poderão ser negociados no mercado internacional.

A mitigação de emissões de GEES e a definição de metas de redução integram os compromissos do Grupo Camargo Corrêa firmados em sua Agenda Climática. Outras empresas do Grupo, como a Construtora Camargo Corrêa, a CCDI, a CPFL e a Tavex, também realizam inventários periódicos e outras ações de gestão do carbono.