Quarta, 14 de Agosto de 2013, às 16:00

Cooperativas de agricultores recebem caminhões refrigerados para o transporte da sua produção

No dia 16 de agosto será realizada a entrega de caminhões destinados à logística da produção de agricultores familiares das cooperativas participantes do projeto Tempo de Empreender Abacaxicultor e Bananicultor, nos distritos de União Bandeirantes e Abunã - Cooperativa Agrossustentável de União Bandeirantes (Unicoop) e Cooperativa dos Produtores Rurais de Taquara, Abunã, Pau D’arco e Penha (Coopertap). O evento será na sede da Unicoop e irá reunir cooperados e familiares, parceiros e autoridades em um churrasco comunitário.

As cooperativas participam do projeto Tempo de Empreender Abacaxicultor e Bananicultor, desenvolvido pela Construtora Camargo Corrêa, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto Camargo Corrêa e Sebrae.  O projeto têm o intuito de viabilizar, técnica e economicamente, a produção e comercialização de frutas.

“O objetivo do Tempo de Empreender é melhorar a produção primária e chegar a um processo de agroindustrialização, valorizando mais os produtos e agregando renda à propriedade”, diz Jair Resende, superintendente do Instituto Camargo Corrêa.

Os caminhões são um importante elo na cadeia de ações que foram iniciadas há quatro anos com um levantamento de potencialidades das comunidades do entorno da Usina Hidrelétrica Jirau. Após a adesão das comunidades selecionadas, as ações do projeto incluíram consultorias em gestão da produção, a criação e a legalização das cooperativas, estudo de mercado, capacitações, visitas técnicas, mutirões e muito planejamento. As medidas provocaram mudanças de comportamento na comunidade que, aos poucos, sinalizam a melhoria na qualidade de vida desses agricultores familiares.

Segundo o presidente da Coopertap, Giberto Ruas Arruda, os produtores de abacaxi estão eufóricos com o desenvolvimento do projeto e a melhoria na logística de seus produtos. “Até 30% dos custos da produção eram gastos com frete. O caminhão levará os abacaxis que produzimos para muitos lugares de Rondônia e do Brasil”, afirma. O presidente da Unicoop, Geraldo Pereira Sete, acredita que a entrega dos caminhões é mais uma etapa vencida na trajetória das cooperativas. “Os caminhões são mais uma ferramenta que estrutura a entrada da cooperativa no mercado. Este é mais um passo rumo à nossa vitória. Sabemos que ela não acontece de uma vez só, mas em etapas”, afirma.

A precariedade das vias de acesso às propriedades rurais faz com que sejam necessários meios de transporte e acondicionamento adequados dos frutos para evitar altas perdas na produção. A exposição dos produtos a elevadas temperaturas é um dos entraves logísticos comuns para agricultores familiares que produzem produtos perecíveis, como é o caso da banana e do abacaxi. Com recursos do projeto Tempo de Empreender foram instaladas câmaras frias coletivas nas sedes das cooperativas. E está prevista ainda a construção de um entreposto refrigerado em Porto Velho para armazenar os frutos para a distribuição.

Foram adquiridos dois tipos de caminhões, em um investimento de cerca de R$ 1 milhão. Dois caminhões tocos serão utilizados para levar a produção das propriedades para a câmara fria e os outros dois caminhões truck para a retirada da produção da câmara fria até os clientes em Porto Velho.

Segundo o gerente de recursos humanos da Camargo Corrêa, Walmir Picolotto, a conquista das cooperativas é um marco na logística para a comercialização dos produtos. “Os caminhões refrigerados para o transporte de frutas são um grande avanço na vida dos cooperados e das famílias beneficiadas pelo projeto. Essa doação é fruto de grandes parcerias que visam o desenvolvimento e o crescimento da região. A entrega dos caminhões completa o processo de desenvolvimento da cadeia produtiva por meio da comercialização e da distribuição da produção.”, afirmou Picolotto.

Os caminhões doados operam de acordo com a nova legislação para redução da emissão de gases poluentes, a chamada Proconve P7 ou Euro 5. Os condutores dos caminhões receberão capacitação prática e teórica para aproveitar ao máximo a capacidade de operação dos veículos. Além disso, as pessoas que receberem o treinamento funcionarão como agentes multiplicadores para futuros condutores.